Com tecnologia do Blogger.

paisagens típicas, nas suas cores


lifestyle photography @Fazdeconta.fotografia


Uma paisagem repleta de tranquilidade, cores vivas e memórias da actividade dos pescadores. São as pinceladas mais características daquele que é o famoso quadro da aldeia de Escaroupim. Uma aldeia perto de Salvaterra de Magos, e a relativamente poucos km de Lisboa. Junto à Casa Típica Avieira (o espaço com as pequenas casas em madeira pintadas de cores vivas e construídas sob estacas) pode passear-se à beira de uma praia fluvial (assim considerada pelos mais aventureiros) e encontramos também uma boa garfada de comida!

No regresso à capital, o pôr-do-sol tornou-se cúmplice da praia de Alcochete. :)





última paragem: I AMsterdam










































diário fotográfico por @Faz de Conta fotografia

No regresso a Portugal, Amesterdão soou como uma boa sugestão para uma paragem entre voos e para ser percorrida a pé sob os seus vários canais (no embalo dos km a pé já somados em Praga), apesar de serem efetivamente os ciclistas que mandam nesta cidade. Às 9h30 da manhã, depois de uma viagem rápida de comboio desde o aeroporto, estranhou-se, porém, serem poucos os locais que, a uma segunda-feira, estivessem abertos para se tomar o pequeno-almoço (algumas lojas da zona comercial apenas abriam inclusivamente ao meio-dia! E com uma quantidade a olhos vistos de sacos de lixo ainda por recolher nas ruas.)

Desta visita pela segunda vez à capital da Holanda, ficou sem sentido (e sem tempo) espreitarmos dois dos principais museus de referência, como o de Van Gogh ou a Casa de Anne Frank, por exemplo. Mas junto ao museu Rijksmuseum tornou-se irresistível não tirar as fotografias cliché junto à tão famosa estrutura de letras gigantes I AMsterdam!

O comércio vintage em lojas verdadeiramente irresistíveis acabou por ser o clímax desta paragem,  principalmente após a expectativa defraudada em Praga pela lacuna da existência deste tipo de lojas com roupa, acessórios entre outros objectos vintage e em segunda mão. :)


diário de Praga #2









Outra das atrações de Praga: o teleférico de Petrin que nos eleva ao alto do monte de Petrin, com uma longitude de 510 metros ao longo da via e uma elevação de 130 metros. Em 1851 trabalhava sob um mecanismo de água e houve uma época em que deixou mesmo de funcionar devido a deslizamentos de terra constantes.
















Por sua vez, a Torre de Petrin é a estrutura mais elevada de Praga (muito similar à da Torre Eiffel em Paris). Tem 60 metros de altura, com vertigens garantidas! No terraço superior deslumbramo-nos com uma ampla vista sobre a cidade.







Junto à Torre de Petrin encontramos o Labirinto dos espelhos que proporciona uma experiência engraçada (apesar de já não ser efetivamente inovadora) numa sala de espelhos convexos.




























A contrastar com o estilo do centro histórico de Praga surge um outro ´cartão postal´ desta cidade: a Lennon Wall, uma parede ´rabiscada´ em memória ao John Lennon, dos Beatles, símbolo da liberdade de expressão e dos seus ideais de paz.  

A Dancing house, nas fotografias abaixo, é um prédio de escritórios, cujo estilo arquitectónico não tradicional (idealmente a fazer lembrar um par de dançarinos) se tornou, numa época, controverso.