sexta-feira, 25 de abril de 2014

HOJE SEI QUE É POSSÍVEL






– Vais. 
– Tenho de ir. Tenho de fugir. Dói demais para ser suportável. 
– O que posso fazer?
– Amar-me. Continua a amar-me. É tudo o que te peço. 
– Esquecer o corpo. Esquecer o toque. 
– Lembrar o corpo. Lembrar o toque. Acreditar na possibilidade de por vezes nem tudo precisar de tudo. Acreditar na possibilidade de mesmo só uma parte cumprir na perfeição o papel do todo.

(in "Prometo Falhar", Pedro Chagas Freitas)



1 comentário:

Ana Couceiro disse...

Tenho saudades de ler. Tenho que recomeçar :)