domingo, 9 de setembro de 2012

RUBRICA: THINKING INSIDE THE BOX // DESABAFO


(destaques pessoais repetidos do Style diary)


Há pessoas que me perguntam... porque não arrisco mais naquilo que visto? E eu, primeiro, rio-me. Depois respondo: porque não quero (e porque não devo)! Principalmente quando me explicam que "arriscar" significa para eles, em última análise, andar de nádegas de fora, de costas descobertas e de Alexa boots (ou de Jeffrey Campbell). Acrescentar uns round sunglasses, talvez ainda. Este arriscar para mim grita exclusivamente por férias, por fins-de-semana (eventualmente). 

O meu dia-a-dia é saturado num escritório, num departamento de marketing onde a liberdade de vestir exige maturidade e um maior bom senso (como acontece com a maioria das mulheres!). Independentemente da idade, a ausência de low profile não é desculpada, pelo que esse é o estrangeirismo mais respeitado no meio profissional de uma área de negócio mais conservadora, não querendo isso dizer, no entanto, que se tenha que vestir um fato cinzento todos os dias (e eu bem fujo disso).

Os meus outfits diários espelham este estilo de vida...a rotina de uma mulher real (a quem só falta ter 30 anos e filhos), que trabalha e que tem uma agenda completa quase 24horas por dia.  A rotina de um estado de espírito feminino real, aquele que não tem sempre vontade de se pôr em cima de uns stilletos! Não tenho tempo para montar um cenário e personagens repletas de tachas esquizofrénicas e com um espírito jovem rebelde por um lado, ou com saltos megalómanos (e eu até me considero uma expert nesta matéria) e coordenados exuberantes e mix prints que deixam quaisquer olhos esbugalhados só porque... estas personagens farão sonhar alguns leitores e porque se tornaram no ideal de um guarda-roupa! 

Não tenho oportunidade para andar constantemente de Converse, shorts, t-shirts rasgadas e mochilas e passear pelo Chiado, como se ainda tivesse 18 anos. Por aqui dão-se exemplos reais e facilmente reproduzíveis de como se pode conjugar roupa num dia-a-dia que exige descrição - se se identificarem com as minhas propostas. Caso contrário...o que já não falta na blogosfera são miúdas desocupadas, rebeldes, bronzeadas e com piercings! ;)


23 comentários:

Silvana Querido disse...

Existem pessoas que não percebem que não podemos gostar todos do amarelo e que sendo bloggers de moda temos de andar sempre "montadas" e a encarar a personagens vestidas com as ultimas tendências. Deviam ver como me visto no dia-a-dia ahah

Babe girl eu adoro o teu estilo por isso continua :)

Beijinho

Marta Pinto de Miranda disse...

Tal e qual baby! Obrigada pela cumplicidade nestes anos todos de blogosfera!*

MintJulep disse...

Marta, adorei o que escreveste. A blogosfera está pejada na sua maioria de jovens estudantes que se podem dar ao luxo e têm idade e estilo de vida para esses looks que acham tão originais e rebeldes. Quando eu tinha essas idades também eu abusava de looks incomuns e chocantes - cheguei a andar na rua com uns calções, all stars e um soutiã de ganga, sim um soutiã. Mas a realidade de uma mulher que já está integrada no mercado profissional, neste país, é bem diferente. Ou se trabalha directamente no mercado da moda, e aí sim, podem inovar, rebelar, ousar e arriscar á vontade, ou então e até nos ambientes supostamente mais criativos as mulheres são obrigadas a manter um dress code ou muito simplezinho ou muito rigido. E quando se chega á minha idade, por exemplo, já não apetece nada as tachas, os spikes, passei 20 anos da minha vida a usar isso, não me apetece mais, e o facto de não querermos andar assim vestidas não quer dizer que não possamos ter estilo, ser criativas, e vestir com originalidade e bom gosto. Gostei mesmo muito deste texto.
http://fashionfauxpas-mintjulep.blogspot.com

All about lady Things disse...

Acho que acima de tudo algumas pessoas não percebem que o facto de terem acesso a uma parte da nossa vida através do blog não os faz conhecedores dos ambientes em que circulamos, da nossa profissão, daquilo que nos é exigido. Arriscar é uma palavra incrível e honestamente não a associo à moda, para mim arriscar não é usar um baton escuro ou uns spiked shorts. Para mim arriscar é elevar os meus limites. E convenhamos o teu estilo é real e fantástico :)

<3

Diana Maria Rebelo disse...

A entrada para a universidade deu-me, e obrigou-me a ter, um certa maturidade na forma de vestir.
É por isso que tenho um guarda-roupa muito variado. Tenho peças clássicas, peças punk, tudo e mais alguma coisa, e no meu dia-a-dia misturo as peças. É uma forma de continuar a ser eu mesma, e de me vestir-me como me sinto: nem adolescente, nem adulta; algo assim pelo meio.

Sofia disse...

É verdade, hoje em dia há muito a tendência para generalizar. São as tachas, os ténis com salto, as all-star, os picos, etc etc. Mas nem todas somos iguais (ainda bem) e cada uma tem de se vestir de acordo com o seu dia-a-dia, com o que gosta, e sobretudo com o tal bom senso de que falas. Acho muito mais interessante ver pessoas reais do que aquelas que fazem o bonequinho só para a foto e que nada daquilo é "usável". Apesar de teres de te vestir de acordo com o teu trabalho, acabas por pôr nisso o teu estilo pessoal, o que é muito mais giro de se ver :) beijinhos e não ligues a essas coisas. <3

Cláudia Bragança disse...

Conheço o teu blog há pouco tempo mas posso dizer que é um daqueles com que mais me identifico.
Adoro todos os teus outfits exactamente por aquilo que dizes, são práticos, reais, adaptados ao dia-a-dia e acima de tudo com muito estilo.
Depois de ler o que escreveste só confirmo o que já pensava sobre o blog porque é mesmo assim que acho que deve ser.

Beijinhos

A Escriva disse...

Podia ter escrito isto. Não podia concordar mais. Acho que há por aí muita confusão entre o que é um blog de moda e o que é alguém que, tendo um blog, por ter um determinado tipo de corpo o tenta mostrar o mais possível com vestimentas fora da box porque isso vende melhor. Até podem ter muito estilo, não digo que não (se bem que tenho a certeza que aquilo é inspiração para adolescentes), mas a verdade é que eu não queria na minha empresa alguém que se vestisse assim. Há um padrão, a não ser que se trabalhe num armazém partilhado onde até as rastas podem entrar, nas empresas reais há um código a seguir. Não tem de ser aborrecido, mas tem de ser coerente.
Eu acho, sinceramente, que gostar de moda não é vestir tudo o que é tendência, é saber adaptar isso ao nosso espaço e à nossa personalidade, é saber carimbar um grande não em tudo o que é vistoso gratuitamente. Christophe Lemaire disse que não consegue encontrar elegância numa mulher sexualizada e eu concordo com ele. Encontro muito mais charme na contenção do que na exuberância.


Beijinho

Marta Pinto de Miranda disse...

Fico muito contente com o Vosso feedback que tenho a certeza que também elucidará outras mentes! OBRIGADA meninas!! mesmo! um bj grd*

I Love Mondays disse...

Marta, o bom gosto e o bom senso são uma bela linha condutora. Identifico-me com os teus looks exatamente por isso: são reais, eu poderia usar muitos deles (apesar de não ter mais a tua idade...), enfim, continua assim mesmo, que estás muito bem. Beijinhos, Mari (do blog I Love Mondays)

Maria Joao Ferreira disse...

Este post podia ser meu! :) Aliás, escrevi sobre este mesmo tema há tempos. E não podia concordar mais com o que dizes! Há uma qualquer ideia implícita que todas as bloggers trabalham em moda e, por isso, todas têm que andar sempre vistosas e in fashion mas, na verdade, ter um trabalho 'normal' e, mesmo assim, ser capaz de usar as tendências e manter a discrição, isso sim, é obra. Ter a capacidade de chegar a um ponto de equilíbrio é uma característica que nem toda a gente tem. Um grande clap clap clap às mulheres normais, como tu e como eu e como tantas outras que, diariamente, têm que manter uma postura profissional e glamourosa em simultâneo. Continua inside the box! ;)

Ana disse...

Gostei muito do que escreveste, nota-se que foi sincero.
Eu gosto do teu estilo assim, se calhar não me identifico com alguns looks mas é assim que tu és e é isso que te torna numa rapariga única. E tu és lindíssima, não precisas dessas coisas para brilhar! :)

Pipa T disse...

Gostei do desabafo!

The Pink Book of Style disse...

Pois, de facto o ambiente em que estamos acaba sempre por influenciar o que vamos vestir ..

Principalmente em relação aos calções, raramente os largo no Verão (e se largar, é para trocar por um vestido) .. Mas amanhã, apesar de ainda estar calor, lá vou ter que tirar um par de calças do armário =(
E isto é preocupação só de roupa para o Centro de Explicações, quando for um trabalho "a sério" vai ser um drama ..

Anyway, gosto imenso do teu estilo e identifico-me muito mais c ele do que com esses estilos de "personagem" que, apesar de terem imensa piada, adequam-se a muito poucas ocasiões ..

C *

trendsetter disse...

Marta assino o teu texto em baixo!

Um beijinho querida:)

Pulseira disse...

Muito Bom o que escreves-te! O Blog tem de ser um espelho de nós, de como nós somos, tem de ser autêntico, assim é que faz sentido! Este blog é teu, é ao te estilo, e sinceramente acho que passas uma realidade muito boa e positiva, é disso que precisamos. Não de supostamente mostrar o que se diz que é fashion e irreverente, só para ser como toda a gente! Parabéns.

Sofia disse...

E é por isso que este é um dos meus blogs favoritos.... :)
Muitos parabéns!!!

Cats disse...

Marta,

Tenho 22 anos e, aos poucos, começo a ganhar consciência do verdadeiro significado da palavra "estilo". Com a minha idade seria de esperar que desse preferência a blogues com looks fantasiosos, aqueles ditos diferentes mas que, na verdade, são todos iguais. É claro que me revejo em algumas peças e tendências... Mas "estilo" está para além disso.
Primeiro, acho que só uma pessoa com muito dinheiro, ou pelo menos uma quantia mensal significativa reservada para roupa, pode dar-se ao luxo de comprar peças giras, sim, mas com uma possibilidade de uso muito limitada na vida real. Quantas vezes dou por mim especada a babar em frente a uma montra, com o olhar preso numa peça super alternativa, mas que custa uns módicos 70€? E uma estudante "real", que faz parte da maioria, dá esses 70€ por uma peça que vai usar duas vezes na vida? Não, não dá.
Em segundo lugar, começo a pouco e pouco a entrar no "mundo dos adultos" e apercebo-me que esse ideal do "quando for grande e tiver o meu dinheiro posso usar tudo o que quiser, quando e como quiser" não passa de uma utopia para a grande maioria das mulheres. Só alguém que tenha a sorte de lidar com moda em toda a sua vida profissional pode escolher o que lhe apetecer sem olhar a consequências.
Enfim, dito isto, e sendo a primeira vez que comento o teu blogue: tens aqui um cantinho muito giro, muito, mas muito real e, acima de tudo (e que considero que, hoje em dia, é aquilo que realmente o distingue) bastante informativo. E quanto ao estilo? É o TEU estilo, e é isso que faz com que, mesmo com o outfit mais simples do mundo, pareças estar sempre no teu melhor.
Grande beijinho

Alexandra disse...

Muito bom desabafo.

Sequer na faculdade podia dar-me a esses luxos (devaneios), por ser uma faculdade tão conservadora. Os exames orais eram feitos de fato e gravata para eles, fato para nós.

Gosto de ver as adolescentes e estudantes com as suas loucuras mas, para quem trabalha, é bom ver "raios de sol" que possam usar.

Daí que também dedico o blogue a essas pessoas. Pessoas da minha idade, mais novas ou mais velhas, que trabalham e lhes é exigida formalidade.

Mesmo que os leitores e os seguidores sejam menos, por serem os mais jovens que dominam a blogosfera no que toca à moda e streetstyle nacional, dá-me muito mais gozo do que se andasse a repetir, cortar e colar tendências e loucuras.

Por este texto, fiquei um pouco mais fã do teu blogue. :)

Saltos de Cristal disse...

Excelente post, concordo contigo. Gosto do teu blog por isso mesmo: é real!!

Kris disse...

Adorei o que escreveste Marta. Sigo-te há imenso tempo embora não seja de comentar, e até já tive a feliz oportunidade de te encontrar no SPIES e manifesto aqui a tua enorme simpatia. Também trabalho num escritório embora na area financeira e naturalmente que tenho de ter algum cuidado com o que visto. Tento seguir as tendências, mas nem todas se aplicam. Umas por não me identificar, outras porque a vida profissional não permite. E não estamos em época de poder gastar rios de dinheiro em roupa para trabalho, fim de semana ou noite. Há que saber conjugar as peças e ajustá-las a qualquer altura do nosso dia. Fazes isso na perfeição e identifico-me imenso com o teu estilo. Continua assim,real, porque és fantástica! Bjs

Style It Up girls disse...

As pessoas gostam tanto de falar das outras, não é???
Cada um é como é e, independentemente das razões que nos levam a vestir assim ou assado, o que é que têm a ver com isso???
Ahhh tanta gente desocupada e a precisar de ser mais feliz!!
Keep going girl! :)
Big kiss

C. disse...

Obrigada por teres escrito o que muita gente precisava de ler.

As vezes cansa-me ver tanto "look" para a foto. E vê-se logo, porque por exemplo os sapatos se forem usados REALMENTE td o dia não conseguem ter o bom aspecto que têm "look" após "look".

Eu, infelizmente, no meu trabalho estou limitada mesmo a minha própria liberdade de expressão. Eu gostava e queria vestir mais do que é consensual por aqui, mas mesmo que trabalhasse num local que pudesse andar a vontade ia continuar a não usar calções a mostrar o forro dos bolsos, nem de tigresse dos pés a cabeça, nem de minisaia daquelas no closet se confundem com os cintos...etc...

Há efectivamente muita gente desempregada e miúdas. Há muitasss miúdas...que deviam era de se preocupar em estudar e formar-se em vez de andarem a concorrer quem mostra mais as bochechas do rabo e ainda por cima tirar fotos disso e a mostrar ahahah

Enfim há por aí também muitas fotos de looks giros "de ver", tão úteis como aqueles editoriais da vogue em que a mocinha veste Prada ou Louis Vuitton dos pés a cabeça.

Keep it real, we like it :)

kiss